Gaspar carrega mais dois importantes títulos a nível nacional: melhor cachaça artesanal armazenada em barril de carvalho americano e segunda melhor cachaça artesanal envelhecida em barril de carvalho francês.

As congratulações foram dadas à Cachaçaria Moendão durante a 28ª edição da ExpoCachaça, que aconteceu em Belo Horizonte, no estado de Minas Gerais. O evento é considerado a vitrine mundial do setor da cachaça e reúne anualmente produtores de todo o Brasil.

Conforme explica Adriano Schmitt, proprietário da Moendão, a participação no evento competitivo se deu através da Associação de Produtores de Cachaça de Aguardente de Qualidade (Acapacq). “Nos inscrevemos com esperança de superar o resultado do ano passado, de segunda melhor cachaça, e deu certo. Nas duas modalidades que concorremos fomos premiados”.

A avaliação das 626 cachaças inscritas foi feita através de uma degustação às cegas por 17 jurados. O resultado foi divulgado no dia 10 de junho, último dia do evento, e deu a Santa Catarina a posição de segundo estado mais premiado.
Adriano participou da feira ao lado do irmão, Luan, e do pai, Carlos Rogério Schmitt. Ele afirma que é gratificante poder concorrer ao lado de grandes produtores. “Trabalhamos duro para oferecer um produto de qualidade. Ver que nosso esforço está sendo reconhecido é muito bom. Nossa família está feliz em presentear a cidade e o estado com mais esses dois títulos”.

Outros títulos 

No ano passado, a Cachaçaria Moendão inscreveu no concurso apenas a cachaça artesanal envelhecida em barril de carvalho francês e ficou com a segunda colocação a nível nacional. Além disso, em 2016, os produtores gasparenses ficaram com o primeiro lugar no Festival Cultural da Cachaça, que aconteceu em Santa Catarina, e premiou a cachaça branca prata.

A história

Um trabalho que marca gerações e que se destaca pela tradição e qualidade. A cachaça entrou na família Schmitt em 1890, época em que o único meio de sobrevivência das famílias era através da criação de animais, plantação de milho, batata doce, feijão e a tão preciosa cana de açúcar. Naquela época, a renda da família vinha somente da venda ou troca dos produtos cultivado. Foi então que Pedro Schmitt Junior decidiu criar seu próprio alambique para produzir cachaça. A iniciativa deu certo e ele passou o gosto pela produção para seu filho, José Francisco Schmitt, o Juca Schmitt, que, mais tarde, transferiu o dom da produção da cachaça para o filho Carlos Rogério Schmitt, o Calinho.

Foi em 1988 que a Cachaçaria Moendão deu início às suas atividades. Inicialmente em uma modesta construção às margens da Rodovia Jorge Lacerda, no bairro Poço Grande, o Moendão cresceu, se modernizou, e tem hoje o grande reconhecimento pela qualidade de seus produtos. Atualmente, Calinho administra a empresa com a ajuda dos filhos Adriano, Luan e Cintia e produz 11 tipos de cachaça, que são de frutas, branca e envelhecidas em barris de carvalho. Fonte:https://cruzeirodovale.com.br/

 

Secretaria Executiva Estadual do SC Rural – (48) 3664 4307 
Endereço eletrônico:imprensa@scrural.sc.gov.br

 

Fonte: SC Rural (27/06/2018)